André Reis
10/03/15

A arte da sinapse para a câmera

Com a popularização cada vez maior das câmeras compactas ou câmeras de mão, o número de “fotógrafos” vem aumentando. Apesar de alguns ficarem só com as câmeras de mão, muitos se aventuram em equipamento mais sofisticados, desde o semi ao profissional, mesmo sem ter noção alguma de como funciona o equipamento. Entram em um curso básico e já se lançam no mercado, com pouca ou nenhuma experiência nunca mais procuram estudar.

A importância do estudo mais aprofundado da fotografia não serve apenas para conhecimento de técnicas, mas sim para a descoberta de si, em que área da fotografia o fotógrafo irá atuar. Além de aprender conceitos, ajuda a estimular a criatividade. Referências de outros fotógrafos mais experientes e de grandes mestres pintores ajuda nessa busca pelo norte, e é uma excelente maneira de treinar o olhar e adquirir mais experiência, já que eles foram os primeiros retratistas.

A arte está no olhar de quem faz. Misture conceitos com sua criatividade, desenvolva seu estilo, faça o que lhe dá mais prazer, brinque com referências e crie o diferencial. Deixe sua câmera ser seu olhar e não apenas olhe através dela. Fotos mais orgânicas (fibonacci) se destacam, construa atmosferas e traga seu público para dentro delas em vez de leva-las até eles, assim você irá envolvê-los no manto mágico da arte. Suas sinapses irão conseguir transmitir seu ponto de vista facilitando o entendimento do cliente, desta maneira você irá encantá-lo e se destacará perante todos.

“O seu olhar define sua personalidade.” – André Reis