Estética, funcionalidade ou design? Parte 02

Leia também a parte 01 desse artigo.

Dando continuidade ao nosso comparativo entre o Ford GT e a Kombi para melhor explicar o Design com relação ao público-alvo.

Vimos no post anterior que o Ford GT é um excelente supercarro, envolto da melhor tecnologia que um carro de corrida precisa.

E a pergunta que ficou foi:

Isso transforma a Kombi em um carro inútil?

volkswagem-kombi

Claro que não. Ela é o oposto do Ford GT, chama menos atenção, bem menos, mas tem quem ame este carro. Feito para transportar o maior número de pessoas ou objetos possível, aguentar peso e ter um custo baixo de manutenção. Não precisa ter uma ótima aerodinâmica, já que seu objetivo não é alcançar alta velocidade.

kombi_traseira

Com tudo, tanto a Kombi quanto o  GT  são excelentes projetos de design, possuem funcionalidades específicas, grupo de usuários específicos.  Pesquisas e esforços foram feitos para que se tornassem os ícones automobilísticos que são hoje, já que seus projetos originais têm apenas uma década de diferença, pouca coisa levando em conta que um é o utilitário que você pode carregar tudo, e o outro um super esportivo que venceu a Ferrari por anos consecutivos.

Kombi1

Então toda vez que fizer seu projeto, sempre analise qual será sua função/utilização e seu público-alvo. Não fuja disso, planejamento é tudo, se conseguir atingir esses objetivos sua ideia já será um sucesso,  não importando para qual  meio foi projetado. Quem sabe um dia não se torne um ícone como os citados aqui?

Curiosidade: Aerodinâmica

“Aerodinâmica é o estudo do movimento de fluidos gasosos, relativo às suas propriedades e características, e às forças que exercem em corpos sólidos neles imersos.”

Nesse caso, quando falei em aerodinâmica, me referi à resistência que o carro tem em cortar o vento.

Nas imagens podemos ver isso, a fumaça que corta o carro simboliza o vento.

aerodinamica

Como podemos ver o primeiro carro, um  VW UP, tem uma aerodinâmica razoável, mas sua frente ainda forma uma parede de ar. Já o segundo carro, um Porsche GT3 tem uma ótima aerodinâmica, sua frente corta bem o vento, o teto cria pouco atrito, o vento que bate em sua asa traseira o empurra para o chão, criando uma aderência maior em alta velocidade. Porém o terceiro, o VW Fusca, cria uma parede de ar na frente e no para-brisas, e ainda deixa sua traseira totalmente solta, fazendo com que tenha pouca aderência, e tendo uma aerodinâmica ruim.